14 de mai de 2009

O QUE É RochasBrasil? SLIDES TUTORIAIS

Fornecedor ! Aproveite a NOVIDADE !
Esperamos ajudá-lo a fazer bons negócios através da divulgação de sua empresa, produtos e serviços pelo RochasBrasil

Lembramos que aqui você pode:

- Cadastrar uma quantidade ilimitada de Produtos ou Serviços;
- Administrar suas ofertas, editá-los e retirá-los do ar a hora que desejar;
- Comparar Preços e Buscar por produtos ou serviços por Categoria;
- Receber informativos atualizados sobre o setor;
- Trocar informações com usuários de todo o setor de Rochas e Pedras Ornamentais, no Brasil e exterior;
e muito mais!

TUDO ISSO DE GRAÇA? SIM.

Nosso compromisso é manter a privacidade de suas informações.
O valor de cada produto cadastrado não será revelado ao consumidor final.

Compare Preços e economize seu dinheiro !
Publique suas ofertas e Bons Negócios!

DICA: CADASTRE SEU TELEFONE MÓVEL OU FIXO E VENDA PELA INTERNET !

Atenciosamente,

Equipe RochasBrasil
www.rochasbrasil.com.br



Posted by Picasaamigos MARMORISTAS...

Encontrei um novo site na internet que oferece uma "ferramenta" muito útil
Ela compara preços em todo o setor de rochas e pedras.
Também tenho uma Marmoraria aqui no sul e achei, no mínimo interessante.
Sei dos problemas na hora de comprar material. Tabela de preço velha e desatualizada.
O único problema é que o site é novo e por isso não possui muitas empresas cadastradas
então, deixo aqui o meu recado!
VAMOS NOS UNIR E DIVULGAR AO MAIOR NÚMERO POSSÍVEL DE FORNECEDORES, SERRARIAS, REPRESENTANTES E DISTRIBUIDORES...
Pensem comigo!
Quanto mais fornecedores cadastrarem seus produtos, mais preços teremos p comparar
Será a lei da oferta e da procura ???
Resumindo = QUEM SAI GANHANDO SOMOS NÓS! MARMORISTAS
“ A união faz a força “
Sucesso a todos Atenção MARMORISTAS...

23 de abr de 2009

Aprenda a colocar Rochas & Pedras !


Colocação do Granito


- Contratar profissionais especializados, com experiência na área;
- Designar um responsável para pré-selecionar as mesmas e realizar uma pré-montagem do piso antes da colocação definitiva, evitando assim o assentamento de pedras com possíveis variações em locais de destaque. Os materiais com veios poderão ser posicionados na mesma direção, para se obter um resultado satisfatório. Verificar a variação de espessura (media de 2 cm), e compensar a diferença na massa.
– Lembre-se que as áreas úmidas / frias (banheiros, cozinhas etc ...), deverão receber impermeabilização no contra-piso;
- Assentar os mármores e os granitos claros com argacola branca e não argamassa branca (composta de areia grossa não peneirada, sujeito a contaminação);
- Utilizar pouca água na mistura com a argacola. A espessura mínima deverá ser de 1cm, pois a pedra estará mais protegida de qualquer contaminação.
- Dosar o nível adequado de massa, pois os granitos e mármores apresentam variações de espessura;
- Peneirar a areia a ser usada na mistura da massa, para separar fragmentos que poderão causar oxidação no material;
- Nunca usar barro na massa de assentamento e evitar contaminações desta massa com resíduos de tijolo, pregos, madeiras e etc.
- Optar pelo grampeamento / fixação de peças colocadas em paredes e fachadas com suportes metálicos específicos.
- Nunca rejuntar o material antes de sete (07) dias após a colocação, pois caso a pedra tenha absorvido água, esta irá evaporar mais rápido através das juntas de dilatação.


Como Diferenciar o Mármore do Granito?

Diferenciar o Mármore do Granito

Uma maneira prática para diferenciar o Mármore do Granito é tentar arranhar a pedra com um prego (metal de dureza 05), se arranhar ele será um mármore (dureza 03) e se não conseguir riscar a pedra ele será um granito (dureza entre 6 e 7).

Uma das grandes diferenças está no próprio visual: o granito é mais mesclado, enquanto a coloração do mármore é mais uniforme.

Granito é uma rocha ígnea provenientes de erupções vulcânicas,e é formado por quatro minerais ( a mica, feldspato, biotita escura e quartzo transparente ).
De forma geral, o granito é mais pesado e mais resistente que o mármore.

Mármores são rochas metamórficas provenientes de metamorfismo de rochas calcárias
Mármores possuem dureza menor que do granito, são mais corrosíveis a ação de ácidos, e são menos resistentes ao tempo.

O mármore deve ser utilizado preferencialmente em ambientes internos. Isto, porque o material sofre com a ação do tempo ( possui sensibilidade à chuva ácida ) e da poluição. Também deve ser evitada a utilização de mármore em áreas de tráfego intenso, pois desgasta-se mais facilmente. Outro ambiente a ser evitado é a cozinha: por ser poroso, absorve gordura. Além do mais, não tendo resistência contra ácido, pode adquirir manchas e perda de brilho com produtos como vinagre, limão ou materiais de limpeza pesados.
O mármore é mais indicado que o granito para revestimento de paredes internas, principalmente de apartamentos, pelo fator peso por metro quadrado ser menor.
De forma geral, lembre-se que o mármore é menos resistente à riscos, mais macio e mais poroso que o granito.


Fonte: www.rochasbrasil.com.br

Dicas de manutenção para Rochas e Pedras


Manutenção (Rochas & Pedras)
Devido às suas características naturais, todo mármore e granito sofre desgaste com o uso e está sujeito a alterações em sua aparência decorrentes do uso, contato com o meio, agressão sofrida por agentes externos e manutenção.Em geral os granitos são rochas mais compactas e duras que os mármores, e por sua resistência são mais recomendados para locais de uso intenso.

Tanto o mármore quanto o granito são porosos, alguns em maior grau, outros em menor grau, dependendo de sua composição e são indicados para piso interno, no entanto é preciso ter o cuidado de impermeabilizar o contrapiso, no caso de aplicação em andar térreo. É recomendável utilizar cimento branco nos mais sensíveis, de cores claras, para evitar o aparecimento de alterações em sua cor natural . Neste caso, evite os mármores mais porosos (maior absorção de água) que correm o risco de manchar-se com a umidade, apesar da impermeabilização.

Alguns desgastes e alterações na aparência são inevitáveis, porém uma correta manutenção ajuda a prolongar a beleza natural da pedra.

As sugestões citadas acima não evitam que o material mude sua aparência devido ao tempo e ao uso, mas ajudam a minimizar tais efeitos.


Rochas e Pedras Ornamentais

Dicas de Limpeza para Rochas e Pedras Ornamentais

Assim que um produto é instalado, podem ficar na pedra respingos da massa utilizada em sua fixação. Se isto ocorrer, estes podem ser facilmente removidos com o uso de uma lã de aço, com muito cuidado para não arranhar a pedra. Lembramos que a lã de aço só deve ser usada na pedra seca, e após seu uso todos os restos desta devem ser completamente removidos antes de continuar a limpeza. Cuidado ao usar lã de aço, seus restos devem ser imediatamente retirados, pois em contato com a água podem oxidar e manchar a pedra.
Os mármores e os granitos por normalmente ter a face polida são de fácil limpeza, se a sujeira for fina como, por exemplo, a poeira do dia-a-dia, pode ser removida por um pano macio umedecido. Se as partículas forem maiores recomenda-se usar antes uma vassoura macia.
Se for necessário lavar utilizar somente água diluída em xampu/detergente de pedra ou sabão/detergente de ph neutro.


Fonte: www.rochasbrasil.com.br

Conheça todas as Texturas (Rochas & Pedras)


Opções de Texturas (Rochas & Pedras)


Polidas - quando submetidas a processos sucessivos de abrasão, partindo da granulometria mais grossa para a mais fina, com o objetivo de fechar qualquer porosidade. Em seguida, pode-se ou não lustrar a peça, de acordo com o brilho desejado.


Lustradas - o lustro é feito de forma diferenciada para cada pedra: no caso do mármore, usa-se o ácido oxálico, de menor potência abrasiva. Já para o granito é aplicada uma mistura de chumbo com óxido de estanho, denominada potéia.


Apicoadas - opção que torna a rocha antiderrapante. O apicoamento é um processo manual ou mecânico que utiliza o picão, ferramenta própria para desgastar pedras, para conferir um aspecto "furadinho".


Levigadas - quando as pedras são desgastadas por abrasivos de granulometria grossa e não recebem mais nenhum tratamento, resultando uma superfície áspera.


Flameadas - processo que se aplica exclusivamente ao granito com o objetivo de torná-lo áspero. Consiste na queima da pedra para que ocorra o desprendimento de alguns cristais.


Detalhes - dar acabamento ao mármore e ao granito já tratados por outros meios também é possível. Para as bordas pode-se escolher entre o frisado (cortes intercalados de 1 a 5mm, feitos com serra apropriada) e o craquê (executado com uma talhadeira manual, deixando expostas as irregularidades naturais da pedra).


Impermeabilização - de modo geral, pedras polidas não apresentam porosidade, dispensando assim tal tratamento. Já aquelas usadas em seu estado natural são permeáveis e podem ser impermeabilizadas com resina à base de poliéster ou silicone para prevenir o comprometimento de sua resistência e estética.


SUGESTÕES PARA COLOCAÇÃO ( PISOS )

Modelos de colocação para pisos de Rochas Ornamentais e Pedras

APRENDA A TIRAR MEDIDAS ( DICAS & TRUQUES )

DICAS E TRUQUES DE MEDIDAS PARA MARMORARIA

TOMADA DE MEDIDAS = Escadas - Passadas

[
passada rectangular normal] [passada rectangular especial] [compensadas] [arredondadas] [patamares] [marcos] [sem tabica] [marcos e cargas] [antideslizantes] [tipo de cantos]
passada rectangular normal
Medidas e notas a tomar:· Comprimento· Largura· Grossura· Vista (direita, esquerda, ambas ou frontal)· Acabamento cantos· Cor· Unidades
Para tomar medida a esta passada na obra, se medirá primeiro a largura do degrau de ladrilho, se acrescentarão 2 centímetros para o marco e dois para a carga da tabica, se a tabica tem 3 cm. de grossura se acrescentarão 3 cm. de carga.
Depois se medirá o comprimento do degrau de ladrilho, aumentando, para passadas de aca-ba-mento de canto polido, chanfrado ou rombo: • 2 cm. se a passada é vista por um lateral (será o marco lateral).• 4 cm. se a passada é vista por dois laterais (marcos laterais).Estes dados são válidos para aquelas escadas nas quais o lateral da rampa está rebocado, caso contrário se acrescentará 1 cm. a mais no degrau visto por um lateral (ficando em 3 cm), e 2 cm. a mais no degrau visto por dois laterais (ficando em 6 cm.).
lateral rampa rebocadalateral rampa sem reboque
Para as passadas de acabamento com canto redondo e 3 cm. de grossura:• 3 cm. se a passada é vista por um lateral.• 6 cm. se a passada é vista por dois laterais.Como no item anterior se a sua rampa não está rebocada, ficará em 4 cm. quando a vista é por um lateral, e em 8 cm. quando a vista é por dois laterais.
lateral rampa rebocadalateral rampa sem reboque


passada rectangular especial (arranque da escada)
Estas passadas dão personalidade a esca-da, delas depende sua estética.
Medidas e notas a tomar:. Comprimento. Largura . Grossura . Vistas (como anterior) . Acabamento cantos . Cor . Desenho da forma. Unidades


compensadas
Este tipo de passadas, são as que compõem um patamar de várias alturas e são as mais difíceis de medir, pois têm formas totalmente irregulares, podem ter 4, 5, 6 ou mais lados. Estas passadas somente devem ser medidas por um profissional. Estas passadas, se solicitam à fábrica acompanhadas de seus respectivos padrões (a sua confecção se verá num item posterior). Vamos dar-lhes umas pequenas noções para a medição das passadas mais simples que se encontram dentro deste item.  Isto significa ângulo recto 90º.
Se tomarão os seguintes dados: . Se medirão os lados. Se medirão os ângulos. Desenho aproximado de sua forma. Lados . Acabamentos. Cor. Unidades
Esta passada compensada com somente duas medidas e o ângulo é recto, fica definida e pode fabricar-se. Há que especificar sempre, se a tomada de medidas é de obra ou é a medida com a que se há de cortar a peça, ou seja, se as medidas são sobre ladrilho, ou já se acrescentou o marco ao redor e a carga.
Esta passada fica definida com as medidas assinaladas sem esquecer-se do ângulo de 90º. A mesma passada também se pode definir com as medidas assinaladas, o ângulo de 90º e qualquer dos ângulos assinalados (º). Posteriormente veremos que com estes dois tipos de passadas assinaladas, se pode compor um patamar de 3 alturas. Este tipo de patamares são os mais comuns.
Este patamar de 3 degraus, se suas medidas se tomam sobre o ladrilho, e se a forma dos degraus é esta, com as medidas marcadas, fica totalmente definido podendo-se cortar na fábrica, nossos empregados se encarregarão de fazer o seu molde e dar-lhes o marco e a carga. Seguimos fazendo pé firme em que os ângulos marcados com (


TOMADA DE MEDIDAS = Escadas – Rodapé decorativo
[
rodapé decorativo lnormal] [rodapé decorativo composto] [rodapé decorativo italiano normal][rodapé decorativo italiano especial] [rodapé decorativo do patamar] [corrimão]
Os rodapés decorativos são as peças que vão colocadas nos extremos do degrau. Sua função é estética.Os rodapés decorativos podem ser do lado “direito” ou do lado “esquerdo”, estes se definem colocando-se enfrente à escada no sentido ascendente. As escadas podem levar rodapés decorativos nos extremos dos degraus que tenham parede, ou seja, olhando a escada de frente se no extremo direito da escada tiver parede, os rodapés decorativos serão do lado “direito”. No caso contrário do lado “esquerdo”, e se há parede em ambos lados, existirão rodapés decorativos em ambos lados. Os rodapés decorativos geralmente são de 12 ou 13 mm. de grossura enquanto não se especifique o contrário. Nos patamares se combinam o rodapé normal com o rodapé decorativo para cercar totalmente o patamar. Neste caso o rodapé normal será da mesma altura que o rodapé decorativo.Ao contrário das passadas e das tabicas, nos rodapés decorativos não é necessário que se indiquem suas medidas, pois estas já ficam definidas, no momento em que se enviam as medidas das passadas e das tabicas.Somente fazem falta os seguintes dados:. Tipo de rodapé decorativo.. Se são direitos ou esquerdos.. Quantidade. Quantidade do rodapé para patamares.

rodapé decorativo do patamar
No patamar se utilizam rodapés para unir os rodapés decorativos de um degrau a outro, este rodapé terá a mesma altura que o rodapé decorativo.


corrimão
Na medida do corrimão, se é vista pelas duas partes se acrescentarão 4 cm. a mais a largura. No comprimento do corrimão se acrescentarão 2 cm. para o marco dianteiro. No desenho se poliríam os dois lados vistos.


TOMADA DE MEDIDAS = Escadas - Tabicas

[
tabica normal] [tabicas especiais]
tabica normal
A tabica, também chamada contrapassa-da, é a que junto com a grossura da passada nos dá a altura do degrau. A altura do degrau de acordo com as normas não deve ultrapassar os 19 cm. A tabica salvo indicação do contrário, sempre é de 2 cm. de grossura. Classifica-se em: 1. Seca, quando não se vêem nenhuma de suas duas cabeças, ou seja, vai entre paredes.2. Vista por alguma de suas cabeças, portanto se deverá polir, essa cabeça.3. Vista pelas duas cabeças, portanto as duas irão polidas.Ao contrário da passada (que se pode medir sobre o mesmo degrau de ladrilho na obra), na tabica não se deve medir a altura do ladrilho, pois isto induz a erro garantido.
A forma de tomar a medida da altura às tabicas é a seguinte: Chamaremos nível 0 ao nível do chão, e nível 1 ao nível do 1º andar, ambos, para medir-se devem encontrar-se nas mesmas circunstâncias:ou estar os dois níveis cobertos com lages, ou não.1. Se tomará a medida de um nível a outro e esta será a altura a salvar pela escada.2. Se contarão os degraus que separam o nível 0 do nível do 1º andar. 3. Se dividirá a medida do ponto 1 pelos degraus, a este resultado se lhe subtrairá a grossura do ladrilho e esta será a altura da tabica. Geralmente a esta medida é conveniente subtrair-lhe 1 mm., pois é preferível que falte um milímetro do que sobre.
O comprimento das tabicas sim se poderá tomar sobre a obra, só há que ter em conta o seguinte:1. As partes vistas.2. Se os laterais da rampa da escada estão rebocados ou não.Lateral rampa escada sem rebocar: Tabica vista por uma cabeça: acrescentar 1 cm.Tabica vista pelas duas cabeças: acrescentar 2 cm. Se os laterais da rampa estão rebocados: não acrescentar nada, somente tomar a medi-da da frente do degrau medindo também a grossu-ra do reboque .Outros dados a ter em conta:. Grossura . Cor. Unidades. Acabamentos das cabeças (polidos)


tabicas especiais
tabicas com pilotoAs tabicas com piloto de luz, geralmente se colocam em lugares públicos nos quais a luz é deficiente, indicando o camino com pilotos de emergência, (obrigatórios por lei, em lugares públicos).A tabica leva um orifício no qual se coloca o piloto de luz, estes pilotos podem ser de diferente forma, os mais comuns são os de forma rectangular e circular. Para definir o orifício que se lhe há de fazer a tabica, se necessitarão os seguintes dados: . Medida e forma da parte do piloto que deve ficar dentro do degrau. . Situação na tabica.. Quantidade de pilotos que tem que alojar essa tabica.
tabica com canto pilastra Este tipo de tabicas se utiliza naquelas escadas, nas quais a passada é estreita, e se quer evitar o marco ao redor dela. Ao praticar-lhe o canto pilastra se consegue que a estética da escada fique como se o degrau tivesse marco. Para definir o canto pilastra fazem falta os seguintes dados:.Medidas.Se o acabamento é polido ou não.
tabicas inclinadasEste tipo de tabicas tem como sua função principal a estética. Os dados para defini-las são:. Medida, comprimento e largura. Lados. Inclinação


TOMADA DE MEDIDAS = Bancadas de Banheiros

[
o frontal] [rodapé] [especiais] [reforços de bancada]
Este tipo de bancadas é mais fácil de medir e fazer seu padrão, pois normalmente são mais pequenas e não se tem que ajustar às paredes da habitação.Vamos ver uma bancada modelo, na qual numeraremos cada uma das suas partes e as trataremos mais detidamente no item posterior. Podem ter furo de torneira ou este estar sobre o mesmo lavabo.As medidas que se tomarão são as seguintes:. Medidas marcadas. Cor. Grossura. Lados. Padrão da cuba ou modelo. Se vai furo de torneiraUma das formas mais comuns de bancadas são as que na sua parte da frente têm formas arredondadas. A fabricação deste tipo de bancada se realiza sempre apartir de padrões.


o frontal
O frontal é uma peça da bancada de banheiro, que além de dar robustez à bancada, aporta uma certa elegância. Também pode chegar a abrigar o toalheiro, ou um porta guardanapos. Geralmente se fabrica colado à bancada. Pode ter somente um frontal dianteiro, à direita, esquerda ou ambos ao mesmo tempo. As medidas a tomar nesta peça são:. Medidas marcadas. Grossura. Cor. Unidades. Lados


rodapé
Esta peça ou peças, geralmente vão sobre a parede para protege-la da humidade e da água. Geralmente são rectas ainda que, podem ter diferentes formas e tamanhos. Costumam ser de 12 mm. ou 20 mm. de grossura e 7 cm. de altura. As partes vistas normalmente vão polidas e chanfradas. Também se realizam em outros acabamentos. As bancadas podem ter rodapés, detrás, a direita, esquerda ou em ambas as partes, dependendo de onde se encontre a parede do banheiro.Também se fabricam rodapés especiais, que além de dar certa elegância ao móvel do banheiro, ressaltam mais a beleza da bancada. Estas peças se fabricam sempre com padrão, além mais, com ele se deverão fornecer os seguintes dados: cor, unidades, lados (ambos lados ou não) e grossura.


especiais
Dentro deste item, incluiremos alguns elementos, que em algumas ocasiões, também se fabricam como complementos das bancadas:O toalheiro situado no frontal da bancada, se define dando suas medidas, situação e forma.A saboneteira situada sobre a bancada, em baixo relêvo.


reforços de bancada
Quando o vão da bancada é tão grande que na parte dianteira ou traseira, fica pouco espaço, deixando a zona frágil podendo provocar uma ruptura, se pratica uma fenda com uma máquina de disco, em cujo interior se introduzirá uma vareta de aço, tampando-o com resina de poliéster. Esta operação fará mais resistente essa zona e evitará as rupturas. Muitas vezes para evitar as rupturas das bancadas, o que também se costuma fazer é deixar o vão marcado, porém não cortado totalmente. Uma vez colocada a bancada na obra se procederá a terminar de cortar a peça.


TOMADA DE MEDIDAS = Bancadas – marcos e cargas

Nas bancadas, é muito importante o item de marcos e cargas. Os marcos podem ser frontais, a direita, a esquerda ou em ambos os lados. Estes evitam que se no caso de cair água sobre a bancada, chegue a molhar o móvel que está debaixo.As cargas também são importantes. Essa carga é causada pelo rodapé, o qual ocupará parte da bancada. Deve-se ter em conta esta carga, por dois motivos principais:1. Que a cuba da bancada fique centrada.2. Que se a bancada tem furo de torneira, tenha o suficiente espaço para faze-lo.Como vemos no desenho a carga do rodapé sobre a bancada, é a grossura do rodapé.Como vemos na vista em planta do desenho, se uma bancada tem furo de torneira, deve-se ter em conta a carga do rodapé, para deixar suficiente espaço para que se possa fazer este furo, e que a cuba do lavabo fique centrada sobre a bancada.
perfíl móvel banheiroparte da frente móvel banheirovista em planta da bancada


[
pilares quadrangulares] [pilares redondos]
A forração dos pilares, é uma das tarefas mais comuns que se fazem na obra. Se pode forrar com: cimento cal, com argamassa, com garras ou sem elas. Existem diferentes formas de secções de pilares, as mais comuns são: quadrangulares e redondas.
pilares quadrangulares
Para tomar as medidas nos pilares de secção quadrangular, basta com obter na obra as medidas de seus lados, um dado muito importante para poder obter as medidas de corte na fábrica. Num pilar se podem forrar os quatro lados, três lados (se este pilar se encontra sobre uma parede) e dois lados (se esse pilar está sobre uma esquina). Dados a fornecer a fábrica para a preparação da forração:. Cor.. Medidas (comprimento, largura e altura do pilar em obra).. Unidades.. Se colocar com cimento cola ou argamassa.. Se vai com garras, ou sem elas, e de que tipo.· Acabamento dos cantos. Acabamento das superfícies.
secção de pilares
canto polido e chanfradocanto pilastra canto em ângulo de 45ºesquina com cantoneira
cantosO acabamento dos cantos é o que lhe imprime beleza e carácter ao pilar que vamos forrar. Existem diferentes tipos de acabamento de cantos, os mais comuns são: canto polido e chanfrado, canto pilastra, canto em ângulo de 45º e esquina com cantoneira.
acabamentos superficiaisOs acabamentos superficiais que se poden fazer na fábrica, são os seguintes:1. Polido2. Polido com pedra-pomes3. Areado4. Granulado5. Granulado com ranhura entre as duas molduras 6.Mistos (no acabamento de cantos com cantoneiras) Para forrações se recomenda o acabamento chanfrado.


pilares redondos
secção circular perfeitasecção não circular perfeita
Para tomar as medidas nos pilares de secção circular, basta com obter na obra a medida da sua circunferência. O mesmo ocorre com o pilar quadrangular, para obter as medidas de corte na fábrica, se tem que especificar que material se vai empregar para fixar a forração (cimento cola ou argamassa). Quando o pilar não tem secção circular perfeita (oval, elipse, ou totalmente irregular) o melhor para passar os dados para a fábrica é um padrão em negativo da secção do pilar.
Vamos definir duas formas de forrar este tipo de pilares:
em tirasComo seu próprio nome indica, esta forma de forrar, é mediante tiras de mármore colocadas uma ao lado da outra recobrindo toda a superfície do pilar. O comprimento e a largura dependerá de vários factores.O comprimento dependerá do tipo de material que tenhamos escolhido para forrar e a sua grossura.A largura das bandas, dependerá do rádio do pilar a forrar.Estas duas medidas, podem ficar a critério do departamento técnico de MÁRMOL COMPAC.Este tipo de forração, é o mais comum. Suas tiras podem ir totalmente soltas ou coladas formando arcos. Se estas tiras vão coladas desde a fábrica, a forração terá um acabamento melhor.
em curvasEste tipo de forração se faz mediante arcos de circunferência tal como indica a figura. A superfície deste tipo de forração é esférica, não tem arestas que quebrem a forma do pilar. Este tipo de forração somente pode fazer-se com os microgrãos.As arestas dos arcos, vão chanfradas, para facilitar a sua colocação.



TOMADA DE MEDIDAS = Forrações – Pilares

[
pilares quadrangulares] [pilares redondos]
A forração dos pilares, é uma das tarefas mais comuns que se fazem na obra. Se pode forrar com: cimento cal, com argamassa, com garras ou sem elas. Existem diferentes formas de secções de pilares, as mais comuns são: quadrangulares e redondas.
pilares quadrangulares
Para tomar as medidas nos pilares de secção quadrangular, basta com obter na obra as medidas de seus lados, um dado muito importante para poder obter as medidas de corte na fábrica. Num pilar se podem forrar os quatro lados, três lados (se este pilar se encontra sobre uma parede) e dois lados (se esse pilar está sobre uma esquina). Dados a fornecer a fábrica para a preparação da forração:. Cor.. Medidas (comprimento, largura e altura do pilar em obra).. Unidades.. Se colocar com cimento cola ou argamassa.. Se vai com garras, ou sem elas, e de que tipo.· Acabamento dos cantos. Acabamento das superfícies.
secção de pilares
canto polido e chanfradocanto pilastra canto em ângulo de 45ºesquina com cantoneira
cantosO acabamento dos cantos é o que lhe imprime beleza e carácter ao pilar que vamos forrar. Existem diferentes tipos de acabamento de cantos, os mais comuns são: canto polido e chanfrado, canto pilastra, canto em ângulo de 45º e esquina com cantoneira.
acabamentos superficiaisOs acabamentos superficiais que se poden fazer na fábrica, são os seguintes:1. Polido2. Polido com pedra-pomes3. Areado4. Granulado5. Granulado com ranhura entre as duas molduras 6.Mistos (no acabamento de cantos com cantoneiras) Para forrações se recomenda o acabamento chanfrado.


pilares redondos
secção circular perfeitasecção não circular perfeita
Para tomar as medidas nos pilares de secção circular, basta com obter na obra a medida da sua circunferência. O mesmo ocorre com o pilar quadrangular, para obter as medidas de corte na fábrica, se tem que especificar que material se vai empregar para fixar a forração (cimento cola ou argamassa). Quando o pilar não tem secção circular perfeita (oval, elipse, ou totalmente irregular) o melhor para passar os dados para a fábrica é um padrão em negativo da secção do pilar.
Vamos definir duas formas de forrar este tipo de pilares:
em tirasComo seu próprio nome indica, esta forma de forrar, é mediante tiras de mármore colocadas uma ao lado da outra recobrindo toda a superfície do pilar. O comprimento e a largura dependerá de vários factores.O comprimento dependerá do tipo de material que tenhamos escolhido para forrar e a sua grossura.A largura das bandas, dependerá do rádio do pilar a forrar.Estas duas medidas, podem ficar a critério do departamento técnico de MÁRMOL COMPAC.Este tipo de forração, é o mais comum. Suas tiras podem ir totalmente soltas ou coladas formando arcos. Se estas tiras vão coladas desde a fábrica, a forração terá um acabamento melhor.
em curvasEste tipo de forração se faz mediante arcos de circunferência tal como indica a figura. A superfície deste tipo de forração é esférica, não tem arestas que quebrem a forma do pilar. Este tipo de forração somente pode fazer-se com os microgrãos.As arestas dos arcos, vão chanfradas, para facilitar a sua colocação.


TOMADA DE MEDIDAS = Forrações – Paredes – Interiores

A forração de paredes interiores, geralmente se faz com cimento cola, formato standard e grossura 9 mm. com canto chanfrado. Para saber a quantidade de m2 que nos farão falta, se medirá o comprimento a forrar multiplicando-o pela altura da forração, acrescentando a esta operação um 10%.
forração de fachadas
A forração de fachadas, geralmente não é formato standard, sua grossura é maior de 12 mm. e além de empregar cimento cola, para a sua instalação, sua fixação se complementa com garras, guias ou qualquer mecanismo que sirva como agarre ou sustentação das peças sobre a parede. A resina que se utiliza para este tipo de forração, é uma resina especial para que suporte melhor as mudanças atmosféricas.A fixação da guia vai presa a umas tiras de madeira e estas por sua vez à parede, o vão que fica entre o forração e a parede se utiliza para enfiar o isolante.Dependendo da fixação, o sistema de forração é diferente:1. Fixação de gancho, si se utiliza este tipo de fixação, o sistema de forração, serão apenas umas pequenas fendas na sua parte traseira, onde se introduz o gancho.2. Fixação de taco, é o mesmo sistema que o do gancho, se é utilizado como está no desenho. Esta fixação pode-se utilizar também perfurando (furo cego) a forração, sem traspassar pelo lado bom, para introduzir o taco. Uma vez esteja o taco dentro da forração, se lhe rosqueia o gancho, e este por sua vez se prende à parede.3. Fixação de guia, o sistema a realizar quando se utiliza este tipo de fixação, são umas ranhuras em dois cantos paralelos, de cada uma das peças da forração.4. Fixação de régua com pino, seu sistema são uns pequenos orifícios de diâmetro superior ao do pino, situados nos cantos do ladrilho a forrar.
fixação de ganchofixação com guia
fixação com tacofixação com régua e pino

TOMADA DE MEDIDAS = Forrações – Janelas

No forração de janelas tem que se distinguir 3 partes:1. O beiral; os dados a ter em conta para a sua fabricação são:. Comprimento. Largura. Grossura. Se leva canal de goteira. Partes vistas. CorAo beiral deve-se-à dar como mínimo 3 cm. de marco, aconselha-se que leve canal de goteira para evitar que a água que cai sobre o beiral penetre na parede.2. Laterais; os dados a ter em conta para sua fabricação, são:. Comprimento. Largura. Grossura. Partes vistas. CorOs laterais costumam sobressair da parede 1 cm.3. O dintel; os dados a ter em conta para a sua fabricação são:. Comprimento. Largura. Grossura. Partes vistas. CorO dintel sempre vai descansando sobre os dois laterais, geralmente sobressai 1 cm. de marco.


Fonte: www.rochasbrasil.com.br



LISTA DE MATERIAIS INDUSTRIALIZADOS



MATERIAIS INDUSTRIALIZADOS

AGLOSTONE
CIMSTONE
COMPOSITE STONE
MARMOGLASS
MÁRMORE INDUSTRIALIZADO
MÁRMORE COMPACTO
MARMOL COMPAC
MAGICSTONE
QUARTZ COMPAC
QUARTZO INDUSTRIALIZADO
SILESTONE
THECNISTONE
INTERCRYSTALLINE


LISTA DE MATERIAIS ENCONTRADOS NA NATUREZA.


LISTA DE MATERIAIS NATURAIS:


AGLOMERADO
ARDÓSIA / XISTO
ARENITO
BASALTO
CONGLOMERADO
DOLOMITA
DUMORTIERITA
FUXITA / MICA
GRANITO
ITACOLOMITO
LABRADORITA
LIMESTONE
LUMINÁRIA / CARRANCA
MÁRMORE
MIRACEMA / GNAISSE
MOLEDOS
ONIX / SÍLICA
PEDRA GOIÁS
PEDRA SABÃO
PÓRFIDO
QUARTZO
QUARTZITO
SÃO TOMÉ
SERPENTINITO
SEIXO ROLADO
SIENITO
SOAPSTONE
TRAVERTINO
UMBURANINHA


Fonte: www.rochasbrasil.com.br